História do Seridó: Importância da aliança com os Tapuias (Tarairius)

Importância da aliança com os Tapuias (Tarairius)

Os Tapuias (Tarairius) recebiam o adjetivo de “Aliados infernais” pelos neerlandeses. De acordo com José Antônio Gonsalves de Mello, no transcorrer dos anos de dominação holandesa nas terras da América, uma das preocupações mais constantes de seu governo holandês foi a de atrair e conservar a amizade dos brasilianos assim chamados os tapuias.

Tratava-se de uma estratégia para a continuidade da política de alianças firmada desde as primícias da década de 1630 com os índios que se encontravam no litoral e, de quebra, com aqueles que habitavam o sertão. Com o concurso destes últimos, especialmente, a Companhia das Índias Ocidentais contava para a salvaguarda da fronteira situada a oeste das áreas povoadas por colonos holandeses, no litoral e adjacências. Salvaguardada contra ameaças de tribos hostis e, mais ainda, portugueses ou luso-brasílicos insatisfeitos com as autoridades neerlandesas e suas decisões no Novo Mundo.

No fim da década de 1640, todavia, os pilares que sustentavam a extensão do Império Holandês nos trópicos começam a apresentar sinais de fragilidade. Contribuiu, para isto, o fim da União das Coroas Ibéricas, com a restauração do trono português (1640) e o início do movimento de insubordinação do luso-brasílicos contra o monopólio da Companhia das Índias Ocidentais, lembrado na historiografia como Insurreição Pernambucana (1645). Nesse cenário de distúrbios sociais aconteceram os conhecidos massacres de Cunhaú e Uruaçu.

Tapuia - Imagem: Albert Eckhout / Óleo sobre tela
História do Seridó - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página